Fortaleza, Segunda-feira, 17 Junho 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Quarta, 02 Janeiro 2019 06:57

Cid e Ciro definem apoio a Tasso para presidência do Senado

Avalie este item
(0 votos)
O senador eleito Cid Gomes (PDT) e o candidato derrotado à Presidência da República, Ciro Gomes, definiram o apoio à Tasso Jereissati (PSDB) à presidência do Senado Federal. Questionados separadamente antes da solenidade de posse do governador Camilo Santana (PT), ontem na Assembleia Legislativa, os irmãos apontaram que o senador tucano reúne aspectos que não seriam "nem de uma situação automática e nem de uma oposição sistemática" ao governo de Jair Bolsonaro (PSL).       Cid disse se dedicar à tarefa de formar um bloco de "15 ou 16" senadores de cinco partidos para atuar "além da formação da mesa e da composição das comissões". Os partidos, não detalhados ontem por Cid, poderiam ser PDT, PRB, PRP, PPS e setores do PSDB.     CIRO GOMES diz que vibraria com eleição de Tasso Mateus Dantas "Existe o sentimento de colocar o Senado como um poder independente, compreendendo o papel relevante que terá de poder moderador, de manter estabilidade para o País num governo de muita imponderabilidade, que, creio, será o governo Bolsonaro. Imagino que a quantidade de pessoas que tenham esse sentimento em comum possa chegar a 50 senadores", desenhou Cid. Para ele, Tasso "é um nome que define esse sentimento". O número representaria 61% dos 81 senadores que compõem a Casa.       Pensando em um cenário de articulação federal com o Ceará, Ciro foi ainda mais enfático quanto às declarações em relação a Tasso. "Evidentemente é o Cid que comanda essas coisas, mas eu vibraria muito com a eleição dele (Tasso)", afirmou.       Ciro foi apadrinhado de Tasso no início da carreira política. Os Ferreira Gomes e o senador tucano se distanciaram desde o mandato do Cid Gomes à frente do Governo do Estado. Durante esse tempo, Tasso e o PSDB têm se apresentado como oposição aos Ferreira Gomes localmente, tanto na Assembleia, quanto durante as campanhas eleitorais. A declaração de Ciro pode indicar uma reaproximação dos então adversários políticos, e é representativa de como será a postura nacional de oposição do PDT ao governo de Bolsonaro - distante de laços com PT e parte da esquerda, e mais próxima de setores de centro e de direita.       O senador eleito diferenciou a situação local, por serem aliados do PT cearense, da conjuntura nacional, declarando que, nacionalmente, a relação entre PDT e PT é de mais "animosidade". "O que eu desejo é que o PDT possa marcar nossa identidade, somos diferentes a nível nacional. Mas certamente é razoável que em muitas situações nós estejamos na mesma estratégia e defendendo as mesmas bandeiras", declarou.       Sobre a não presença do PT na posse do presidente Bolsonaro, Ciro voltou a tecer duras críticas ao partido, antes aliado. "(É uma postura) Desrespeitosa com a maioria do eleitorado (que elegeu o Bolsonaro). Acho uma infantilidade, mais uma aberração dessa burocracia corrompida do PT, que é um desastre", criticou. Ainda assim, Ciro afirmou que não iria à posse de Bolsonaro. "A propósito, não fui sequer convidado, mas, se fora, não iria".   Colaborou Carlos Mazza           Crítica   Comparando "petistas fanáticos" aos seguidores de Bolsonaro, a quem chamou de "bolsomi-nions", Ciro reafirmou que falta autocrítica ao PT. "Eles não serão capazes de fazer (autocrítica), porque em religião você não critica Deus".           DOMITILA ANDRADE
Lido 628 vezes

Portal do Servidor

Enquete

Você concorda com mudanças no Código de Trânsito Brasileiro para abrandar multas e pontuação na CNH de motoristas infratores?

Cid e Ciro definem apoio a Tasso para presidência do Senado - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500