Fortaleza, Quarta-feira, 19 Janeiro 2022

Pesquisar

Comunicação

Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia
Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos

Alcance ENEM

Alece 2030

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Login

Documentário sobre jovens indígenas é lançado em audiência pública na AL - QR Code Friendly
Quarta, 19 Abril 2017 17:27

Documentário sobre jovens indígenas é lançado em audiência pública na AL

Avalie este item
(0 votos)
Lançamento do documentário Lançamento do documentário Foto: Dario Gabriel
O documentário "Na defesa do direito à vida e contra a violência sofrida pela juventude indígena", conduzido pela Coordenação Nacional da Juventude Indígena, foi lançado em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da AL, na tarde desta quarta-feira (19/04). O debate foi requerido pelo deputado Renato Roseno (Psol).

Durante a audiência pública, representantes de entidades e de etnias indígenas do Ceará debateram a situação da juventude indígena no Estado. Para o deputado Renato Roseno, as juventudes indígenas vivem em dupla condição de busca de direitos, por serem jovens e índios. “Por serem indígenas, necessitam de respeito à sua identidade, cultura, rituais, espiritualidade, ao seu modo de ser e de produzir, além de todos os desafios inerentes à condição de ser jovem, como afirmação de sua autonomia, direito à voz e formação de personalidade”.

Marciane Tapeba, representante da juventude indígena, informou que a comunidade aprendeu muito durante a produção. Os organizadores do projeto realizaram oficinas em Aquiraz e Crateús, com o objetivo de conversar com os jovens indígenas e politizá-los. Segundo Marciane, o objetivo do documentário é mobilizar e capacitar a juventude indígena do Ceará sobre as violações dos direitos do seu povo, como a negação das políticas públicas, acesso à universidade e preconceito por ser indígena.

Durante a audiência, Marciane leu o documento “Carta aberta da juventude indígena do Ceará: por uma terra sem males e pelo bem viver dos povos indígenas”. Entre os problemas apontados na carta estão a ausência de cotas para índios nas universidades cearenses; falta de debate sobre sexualidade e gênero, ainda considerado tabu dentro das aldeias; preconceito à espiritualidade dos jovens indígenas. Após a leitura, o documento foi entregue ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), por meio do coordenador da Unicef no Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte, Rui Aguiar.

Representando a juventude indígena da Região Metropolitana e Litoral, Matheus Tremembé ressaltou que a produção do documentário possibilitou o encontro e a troca de experiência entre os jovens índios. “Assim, eles aprendem a procurar pelos seus direitos. A juventude é o hoje, e o que fazemos em nossa terra traz impacto, positivo ou negativo”, afirmou. Para Matheus, a sociedade precisa perder a visão do índio como ser primitivo, "o que contribui para a ideia de que não existem índios no Ceará".

O vereador de Caucaia Weibe Tapeba (PT), que coordena a Organização dos Povos Indígenas do Ceará, parabenizou os jovens indígenas pela preocupação com o fortalecimento da identidade das comunidades e por refletir sobre seu papel diante do “cenário de ataques e opressão”.

Para Weibe, o dia 19 de abril, Dia Nacional do Índio, não merece ser comemorado no Estado. “São 23 terras indígenas no Ceará, e esse dado está congelado no tempo. Apenas uma terra indígena está com procedimento regularizado. Não vemos nenhuma disposição do Estado brasileiro em resolver essa demanda reprimida e histórica”, lamentou.

Também participaram da audiência pública Eliane Tabajara, da Coordenação Microrregional da Articulação dos Povos do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo; o advogado Lucas Guerra, do Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos da Arquidiocese de Fortaleza; Régis Miranda, da Coordenadoria de Juventude do Estado do Ceará; Ronaldo Queiroz, da Associação Para o Desenvolvimento Local Co-Produzido (Adelco); Luiza Helena, representando o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

LF/AP

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 1048 vezes Última modificação em Quarta, 19 Abril 2017 18:38

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500